Notícia
8/6/2022

Seminário internacional aborda “Diálogos Possíveis”

Mudança de comportamento foi a tônica de seminário internacional em Mariana

Parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente em Mariana, o Instituto Espinhaço, em parceria com a prefeitura da cidade, promoveu o II Seminário Internacional – Diálogos Possíveis 2022.

Com extensa programação no sistema híbrido – presencial e virtual com transmissão pelas Redes Sociais do instituto e da prefeitura, palestrantes preencheram todo o dia oito de junho que, apesar da diversidade dos temas apresentados, um ponto de convergência chamou a atenção; a unanimidade sobre a necessidade de mudança de comportamento da maioria dos povos.

Com objetivo de discutir a histórica cidade mineira, da origem de Minas Gerais à inovação para o desenvolvimento integrado e sustentável do século XXI, temas como o desenvolvimento sustentável e a segurança hídrica foram abordados por acadêmicos e especialistas da área ambiental.

O evento realizado no Cineteatro Municipal de Mariana foi aberto oficialmente pela Secretária Municipal de Meio Ambiente, Denise Almeida e pela colega de pasta, Secretária de Estado de Meio Ambiente, Marília Carvalho de Melo, que deram boas-vindas aos presentes.

Para abrir o ciclo de palestras não teria nome melhor, o Engenheiro Florestal José Carlos Carvalho que concedeu a “Palestra Magna” com o tema: Desenvolvimento Integrado e Sustentável: Desafios e Oportunidades para o Futuro de Minas Gerais. O ex-ministro do Meio Ambiente, ex-Presidente do IBAMA, ex-Secretário de Estado de Meio Ambiente de Minas Gerais e ex-Diretor-Geral do Instituto Estadual de Florestas – IEF/MG deu o tom ao seminário, já levantando a questão comportamental da humanidade.

O filósofo Luiz Cláudio Ferreira de Oliveira – Presidente do Instituto Espinhaço endossou as palavras do engenheiro destacando o diálogo, parcerias e integração para se chegar ao equilíbrio necessário.

A sequência foi uma salada de conhecimentos empíricos e científicos que também se convergiram à novas formas de tratar a “Casa Comum”, o planeta Terra.

Glauco Kimura – Mestre em Ecologia pela USP, Oficial de Programas da UNESCO/Brasil apresentou “Soluções baseadas na natureza”; Loryel Rocha – Filósofo, Presidente do Instituto Mukharajj falou sobre o “Fortalecimento da História, da Memória e da Cultura como Pilar para a Resiliência e o Desenvolvimento Sustentável dos Territórios”; Eduardo Weaver – Engenheiro eletrônico, Master of Science pela University of Birmingham (Inglaterra), MBA em Gestão Empresarial, instrutor de yoga, educador e conferencista internacional discorreu sobre “Design Regenerativo e as Novas Visões sobre Desenvolvimento Sustentável”; a professora Ana Carolina Freitas – Pós-doutora em Metereologia, da Unifei – Campus Itabira, falou sobre as “Mudanças Climáticas e Segurança Hídrica”; Alair Ferreira de Freitas (Portugal) – Doutor em Administração pela UFMG e pesquisador visitante do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra /Portugal apresentou a “Cooperação, Altruísmo e Engajamento Social: Elementos Estruturantes para o Desenvolvimento Sustentável dos Territórios”; Igor Rodrigues de Assis (Estados Unidos) – Professor Associado do Departamento de Solos (DPS) da Universidade Federal de Viçosa (UFV) desde 2011 e pós-doutorando Virginia Polytechnic Institute and State University (2021) trouxe o tema “Conservação de Solo e Água e a Agenda do Clima”; José de Arimatéia Dias Valadão – Professor Adjunto da Universidade Federal de Lavras (UFLA) apresentou o “Desenvolvimento Sustentável à Luz da Gestão Integrada de Territórios” e Oscar Rivas (Paraguai) – Ex ministro do Meio Ambiente do governo do Paraguai; arquiteto; especialista em sustentabilidade e ordenamento territorial; diretor do Instituto Socioambiental del Sur falou sobre a “Ecologização do Pensamento, Democracia e Cidadania: Valores para o biodesenvolvimento na América Latina”.

Encerrando a maratona de conhecimento o presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CBH Doce), Flamínio Guerra Guimarães, falou sobre a importância da Revitalização das Bacias Hidrográficas para o Fortalecimento dos Territórios Hídricos.

Flamínio também ratificou as falas dos antecessores e completou: “Em se tratando de débito com o planeta já estamos no cheque especial há muito tempo, precisamos urgente mudar de postura”.

Flamínio informou sobre os projetos e programas desenvolvidos pelo comitê e da busca pela integração dos diversos atores que tenham o mesmo objetivo para potencializar os resultados dos trabalhos hidro ambientais.

Expedição Piracicaba presente

A Expedição Piracicaba, que em 2019 teve seu lançamento na cidade e que o ato se repetirá esse ano, com a segunda etapa – entrega de produtos, previsto para de 18 a 24 de setembro, participou do evento.

Os coordenadores da Expedição, Geraldo Dindão Gonçalves e Flamínio Guerra marcaram presença e na oportunidade, na abertura do segundo módulo de palestras, apresentaram o vídeo documentário da primeira fase dos trabalhos.