Palavra do Editor

Sempre bom lembrar da importância da água


Assim como ar, ela é vital para a vida. A água transforma tudo. Sem acesso a ela, a morte é certa, e segundo especialistas, morrer de sede é pior que por asfixia.

A água é fonte da vida. Não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos, nós dependemos dela para viver. No entanto, por maior que seja a importância da água, as pessoas continuam desmatando, descartando o lixo irregularmente, poluindo os cursos dágua e destruindo as nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para nossas vidas.

A água é, provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade. É um recurso natural essencial, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário.

Os recursos hídricos têm profunda importância no desenvolvimento de diversas atividades econômicas. Em relação à produção agrícola, a água pode representar até 90% da composição física das plantas. A falta d’água em períodos de crescimento dos vegetais pode destruir lavouras e até ecossistemas devidamente implantados. Na indústria, para se obter diversos produtos, as quantidades de água necessárias são muitas vezes superiores ao volume produzido.
Observando os dados abaixo, percebemos que precisamos utilizar a água de forma prudente e racional, evitando o desperdício e combatendo a poluição, pois:

– Um sexto da população mundial – mais de um bilhão de pessoas – não têm acesso a água potável; – 40% dos habitantes do planeta (3.2 bilhões) não têm acesso a serviços de saneamento básico; – Cerca de 6 mil crianças morrem diariamente devido a doenças ligadas à água insalubre e a saneamento e higiene deficientes; – Daqui a 3 anos, segundo a ONU, até 2025, se os atuais padrões de consumo se mantiverem, duas em cada três pessoas no mundo vão sofrer escassez moderada ou grave de água.

Luta pela água

No dia 22 de março, é comemorado o dia mundial da água. Se hoje os países lutam por petróleo, não está longe o dia em que a água será devidamente reconhecida como o bem mais precioso da humanidade.

No Brasil o maior problema de escassez de água ainda é no Nordeste, onde a falta d’água por longos períodos contribui para o abandono das terras e a migração aos centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro, agravando ainda mais o problema da escassez de água nestas cidades.

Além disso, os rios e lagos brasileiros vêm sendo comprometidos pela queda de qualidade da água disponível para captação e tratamento. Na região amazônica e no Pantanal, por exemplo, rios como o Madeira, o Cuiabá e o Paraguai já apresentam contaminação pelo mercúrio, metal utilizado no garimpo clandestino, e pelo uso de agrotóxicos nos campos de lavoura. Nas grandes cidades, esse comprometimento da qualidade é causado por despejos de esgotos domésticos e industriais, além do uso dos rios como convenientes transportadores de lixo.

Bacia do Piracicaba

A Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba, cujo rio principal nasce em uma região privilegiada – berçário de água – Maciço do Caraça, conta com uma rica rede de afluentes, destacando entre eles o Caraça, Conceição, Maquiné, Valéria, Una, Santa Bárbara, Prata, Do Peixe e uma centena de córregos, riachos e ribeirões.

Assim como demais bacias hidrográficas do pais, a Bacia do Piracicaba passa por intenso processo de deterioração por diversas situações – que envolve todos os atores e suas atividades na região – seja pela mineração, agricultura, pecuária, silvicultura, esgotamento sanitário, lixo doméstico. Nenhum setor escapa da responsabilidade pela situação dramática que vive os cursos dágua que compõe a Bacia.

E se a responsabilidade pela poluição e degradação é de todos, então deverá ser de todos também o compromisso na busca pela revitalização da Bacia Hidrográfica – começando por recuperar o fio dágua.

Quem Somos
O Tribuna do Piracicaba – A Voz do Rio é, literalmente, uma extensão de um dos mais importante cursos dágua de Minas Gerais – O Piracicaba.
O Tribuna do Piracicaba foi fundado por Geraldo Magela Gonçalves (Dindão) e Roneyjober Alves Andrade em fevereiro de 1994.
Com o lema de ser um veículo a serviço da comunidade, o jornal sempre carregou uma bandeira ecológica e dentro de seus trabalhos destacam se projeto Mata Ciliar ao longo das margens do Piracicaba na cidade homônima, participação na criação do Consórcio de Resíduos e consequentemente o fim dos lixões das cidades de Rio Piracicaba, Bela Vista de Minas e João Monlevade, participação na cobertura e divulgação e mobilização da Expedição Piracicaba 300 Anos Depois entre mais de uma dezena de trabalhos ambientais.
Desta Expedição idealizada pelo engenheiro ambiental Cláudio Bueno Guerra, várias ramificações ecológicas, uma delas o início do debate para criação do CBH Piracicaba, que o Tribuna acompanhou de perto.
A partir de 2015 o Tribuna resolveu ir além e estender sua voz a toda Bacia do Piracicaba, se transformando na Voz do Rio.
Passados 25 anos, ¼ de século, o Tribuna continua cada vez mais buscando uma forma de trabalhar a questão ambiental sob um ângulo onde possa-se obter, efetivamente, um ganho real na qualidade de vida e recuperação do Piracicaba.

Fotos
Vídeos
5/6/2020
A Natureza está nos mandando uma mensagem clara”, diz ONU
12/12/2019
Expedição Piracicaba - Pela Vida do Rio - Documentário
Expedição Piracicaba
05 de junho - Expedição Piracicaba - Pela Vida do Rio
Enfim chegamos ao nosso objetivo, alcançar o Rio Doce. Foram 11 dias de total envolvimento com todos os atores que fazem parte da bacia do Piracicaba. Chegamos a Ipatinga. Entregaremos ao Doce uma água que o Piracicaba deveria entregar, com a qualidade de sua nascente em Ouro Preto. Vamos propor um pacto para que, daqui a 30 anos, o próprio Piracicaba faça essa entrega. Muitos guardiões foram identificados ao longo da Bacia. Em cada cidade descobrimos um número enorme de pessoas que estão ligadas pelos laços do Piracicaba, o que reforça nosso lema: Vamos juntos, assim como o rio, sempre em frente.